Wednesday, April 05, 2006

Pensamento Musical VIII - Reflexão Final

Os nossos governos obedecem a padrões mais ou menos rígidos, em que a primazia vai para as questões da economia, finanças, administração, educação (ou nalguns casos "educacionismo"). Mas a verdade é que os sistemas actuais são incapazes de resolver muitos problemas que eles próprios criaram. Talvez esteja na altura de, uma vez mais na história, olharmos para os antigos e colher os seus ensinamentos. Quem sabe se com a criação de um Ministério da Música, uma Secretaria de Estado da Retórica, uma Alta Autoridade para a Poesia Lírica se encontrassem algumas soluções. Uma coisa é certa: os poderes públicos devem prestar mais atenção às questões da criatividade, também ela um direito democrático.

David Bohm defende que a falta de criatividade gera destrutividade. Nalguns casos, assumida sem complexos. Numa audição de entrada para uma escola de música há uns tempos atrás tive este curioso diálogo com um jovem aluno:

- de que tipo de música gostas?
- metálico.
- metálico, como?
(sem hesitar) - destrutivo.

Este jovem adolescente foi admitido, e tornou-se num excelente aluno e mais tarde, excelente profissional, que recorda com nostalgia simpática os seus tempos de "metálico". Há certas fases que convém atravessar na idade certa.

Esperemos que a fase que a música actual atravessa seja igualmente uma crise de adolescência, e possamos vir a ter no futuro mais criatividade e menos destrutividade nas nossas vidas. E que a música volte um dia a exercer os seus poderes mágicos em pleno.


Bibliografia

- Grout, Donald Jay. A History of Western Music. 5th ed. W. W. Norton & Company: 1996.
- Schoenberg, Arnold. Structural Functions of Harmony. Rev. ed. W. W. Norton & Company: 1969.
- ________________. Style and Idea. Selected Writings of Arnold Schoenberg. Leonard Stein, ed. University of California Press: 1975.
- Hutin, Serge. Robert Fludd (1574-1637). Alchimiste et Philosophe Rosicrucien. Éditions Omnium Littéraire: 1971.
- Gómez de Liaño, Ignacio. Athanasius Kircher. Itinerario del Éxtasis o Las Imágenes de un Saber Universal. Ediciones Siruela: 1990.
- Mann, Alfred. The Study of the Fugue. Dover Publications, New York: 1987.
- Bohm, David. Ciência, Ordem, Criatividade. Trad. Jorge Branco. Gradiva: 1989.
- Jeppesen, Knud. Couterpoint. The Polyphonic Vocal Style of the Sixteenth Century. Dover Publications, New York: 1992.
- Dreyfus, Laurence. Bach and the Patterns of Invention. Harvard University Press: 1996.
- Guerber, H. A. The Myths of Greece and Rome. Dover Publications, New York: 1993.
- Young, G. Douglas, ed. Compact Bible Dictionary. Tyndale House Publishers: 1984.

3 Comments:

Blogger Yvette Centeno said...

Pedro que magnífica tarde de trabalho e que magnífica lição.
Sugiro um curso assim, on-line, e sou já a primeira a inscrever-me.
Y.

1:25 AM  
Blogger pedro moreira said...

Nesse caso sugiro já um curso de Pensamento Musical/Pensamento Artístico e Literário em paralelo...
bjs
pedro

7:26 PM  
Blogger Lammazze said...

Tens mais um aluno!
ehhe
Sublinho "e que a música volte um dia a exercer os seus poderes mágicos em pleno".
Fica bem.
Marcos

10:05 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home